fbpx

Falta de médicos é oportunidade para profissionais brasileiros

Como não poderia deixar de ser, a pandemia do Covid-19 foi o tema do 23º Congresso Nacional da Ordem dos Médicos de Portugal. Entre os dias 31 de maio e 3 de junho profissionais da área de saúde debateram, em Coimbra, o impacto da pandemia em áreas como medicina, ciência e sociedade. Durante o evento, o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, falou sobre a necessidade de um reforço positivo e de capital humano.  Esta falta de médicos se mostra uma ótima oportunidade para quem quer vir exercer a medicina em Portugal. Esta necessidade não é de agora e é corroborada pelo Ministério da Saúde de Portugal que confirma a falta  de médicos.

Congresso reforça vertente científica

 

Neste ano, pela primeira vez, o Congresso reforçou a vertente mais científica, com a apresentação das atualizações mais recentes em diversas áreas da medicina. Entre os assuntos relativos à COVID que foram debatidos pode-se ressaltar a “Pandemia: História, Ciência e Pessoas”, Covid-19 na Europa: perspectivas e abordagens e a sociedade portuguesa em resposta à pandemia. Também pela primeira vez o evento foi feito em um formato híbrido (uma parte online e outra presencial).

Foi uma oportunidade para que os profissionais da área de saúde pudessem se atualizar com o que tem de mais recente em pesquisas científicas. Além de aproveitar a participação de autoridades como o coordenador do plano de vacinação contra o Covid-19, Vice-Almirante Henrique Gouveia e Melo, o presidente da Aliança Global para as Vacinas, Durão Barroso e a diretora do Centro Europeu para a Prevenção e Controle de Doenças, Andrea Ammon.

O presidente executivo do Congresso, Carlos Cortes, explicou que a ideia foi “despertar um interesse diferente junto às pessoas, com uma nova fórmula do Congresso. Os Colégios ( que cuidam das especiliadades médicas) foram convidados a apresentar o que tem de mais atual cientificamente, reforçando a vertente científica do evento. Mas, de qualquer maneira, não faltaram também outras vertentes como a social, política, econômica e de formação médica”. Alíás, em relação as especialidades, para quem pretende vir para Portugal, é importante lembrar que o país tem falta de profissionais para algumas especialidades.

Ordem confirma falta de médicos

 

O bastonário da Ordem dos Médicos e presidente do Congresso, Miguel Guimarães, ressaltou a importância das reflexões que foram feitas durante os quatro dias de evento. “Foram divulgadas informações importantes e hoje temos condições de propor recomendações a vários níveis que podem ser importantes para o país”.

 Após os debates, informações e novidades trazidas durante o Congresso várias recomendações foram tiradas. Recomendações essas que abordam desde a preparação para novas pandemias até a resolução de problemas crônicos relacionados ao sistema de saúde português.

Em conclusão, Guimarães afirma que para futuros “tsunamis” é primordial a reforma hospitalar e uma melhor integração entre os cuidados de saúde primários e os cuidados hospitalares. 

Os profissionais poderão aproveitar de oportunidades como, por exemplo, a criação do maior centro de saúde de Portugal, inaugurado em Sintra. Siga as recomendações para quem quer ser médico em Portugal.

Para ser médico em Portugal conte com a Em Portugal Consultoria.

 

VEJA TAMBÉM:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
×